Há algum tempo eu penso em escrever sobre a pirataria, um assunto bem polêmico e dominado na grande mídia por uma visão estreita e altamente parcial.

A maioria das questões valem tanto para pirataria de séries e filmes, música, jogos e softwares como para ônibus e vans ou qualquer serviço ou produto que use esse “alternativo” ou “genérico” como eufemismo pra pirata.

Pensei em fazer um mega-post, uma vez que há muito a dizer sobre isso, mas acredito que a maioria não leria além do título e das figurinhas, caso o texto ficasse muito longo. Até hoje duvido que muita gente tenha lido a análise do resultado final das Olimpíadas de Pequim que postamos, por exemplo. Até entendo, afinal, tela de monitor não é revista, e nosso grau de conforto é diferente com essas mídias distintas. Assim, resolvi abordar o assunto em uma série de posts menores, porém bem organizados e mais fáceis de serem absorvidos.

Conto com a participação de vocês, internautas, para discutir esse assunto sem a hipocrisia tradicional que o cerca, mas sem apelar também para a terrível Lei de Gerson. Em algum lugar deve haver um meio termo e acredito que só com a discussão é que se pode encontrá-lo.

Postado por Tags: , , , Categorias: Economia & Política, Editorial
3166

Comentários do Facebook

Possuímos dois sistemas de comentários, você pode escolher o que mais lhe agrada. :-)


Comentários do Blog

2 Comentários

  1. […] acompanha o NewsErrado sabe que iniciamos uma série de posts discutindo a pirataria. Procuraremos sempre linkar as matérias anteriores de forma que ninguém perca um post, embora […]

  2. filosófico disse:

    Bem,esta abordagem precisa estar presente constantemente em discussões,pois desmistifica a questão de que quem pirateia é assaltante,bandido,traficante,enfim,meliantes aos olhos da sociedade.

    Se analisarmos que a pirataria é apoderar-se de bens de outem ,veremos que isto começou desde o descobrimento do Brasil,com os saques de nossas riquezas naturais,veremos que é algo tão antigo e inquestionável ,tão sabido por todos,tão deslavadamente aceita a tantos anos e ,por incrível que pareça,tão aceita como um fato “normal”.Por outro lado,a pirataria poderia ser o nome dado à cobrança de impostos,que,sem ser piegas,é a pirataria mais aceita por TODA a população,e sustentada por TODOS,inclusive pela justiça no geral :principalmente a governamental .
    Neste caso,observe a observação de que

    “num carro por exemplo existe mais de 50% somente de impostos.”

    Analisando a positividade da “pirataria”,os artistas ,bem como sua musicalidade estão em todas as camadas sociais,graças a aquisição barata do produto,portanto,é descabida a idéia de que o artista é prejudicado com tal comercialização se o grosso da grana está nos shows.E quem são os milhares de fãs que lotam os estádios? R:na grande maioria,quem compra o produto genérico.

    Que dizer então dos fornecedores de duplicadoras de DVD?
    Que dizer das fabricantes de refrigerante genérico sabor Coca,ao Guaraná ,etc ? Estariam pirateando o produto?

    Há a necessidade de coercividade.Ou a tecnologia é assumida como um bem comum ou deve ser pensada e direcionada para poucos.É óbvio que com a última alternativa não há lucratividade,e como tudo,principalmente na globalização,enfoca a lucratividade,isto não daria certo , pois estaria na mão de poucos.Também se tornaria questionável a democracia,a liberdade de expressão;bandas,artistas,paródias,NADA poderia ter um som parecido,ou copiado,enfim,não poderiam haver inspirações de outros :um retrocesso na criatividade.

    Alguns devem se lembrar dos brinquedos Estrela…Quase um monopólio da preferência de brinquedos no país.
    E da invasão do consumismo do R$ 1,99.(que no começo tinha alguns produtos muito bons)

    O fato é :

    TODOS SABEM DA EXISTÊNCIA DO POVO , TODOS PRECISAM DO DINHEIRO DO POVO(pois dinheiro não tem nome )MAS POUCOS QUEREM SE JUNTAR A ELE.
    O mais paradoxal é o seguinte,a maioria consiste do povo,que detém uma concentração em $ ,pequena,mas , a população é grande .Então , as produtoras,querem que o POVO,assuma a responsabilidade de gastar R$ 30,00 numa “oferta” ou o preço de uma locação R$4,00 p/ + ,sendo que,o salário é mínimo.Mínimo mesmo.Principalmente quando falamos de cidades afundadas no Brasil,sem nem sequer,aterro sanitário.Mas,que estão sendo fiéis no pagamento de produtos,nestas grandes lojas de móveis,eletrodomésticos,que,descaradamente anunciam ofertas de R$ 300,00 à vista ou em 25 pagamentos de R$ 20,00…façam as contas do absurdo

    Ou seja ,como abertura dos DVD’s sugiro que tirem as imagens e propagandas que dizem que o dvd pirata é de associação ao crime e coloquem o seguinte

    “Se não tem $ ,se prive”

    Ficaria mais bonito do que a hipocrisia.

Deixe uma resposta