Durante o período da ditadura militar, o Congresso Nacional (Câmara dos Deputados e Senado) viveu anos difíceis e opressivos. Mas desde 1985, já faz 24 anos sem qualquer risco para sua atuação, os membros do Congresso sob o argumento de readquirir suas prerrogativas constitucionais, em sucessivas legislações criaram uma rede de benefícios, de ampliação de mordomias parlamentares, de abusivos e antiéticos usos do dinheiro público, que transformaram os membros do Senado e da Câmara Federal em uma casta especial de brasileiros acima de qualquer controle, até mesmo deles próprios.

Tudo implantado ao longo dos anos sem contestação, pois os benefícios, as mordomias, o direito de gastar e abusar dos fundos públicos foi sendo criado silenciosamente, longe dos holofotes da mídia e aprovado pelos membros do congresso cientes de que quanto maior o prejuízo causado à nação maior o beneficio obtido coletivamente.

Na semana passada, os jornais e as televisões subitamente perturbaram o sossego desta casta de brasileiros que se consideram acima da lei e liberados de manter qualquer respeito ou prudência diante da coisa pública.

passagens_aereasE assim ficamos sabendo que o jovem deputado Fabio Faria, frequentador de ambientes artísticos, gastou tranquilamente a quantia de R$21.343,00 – destinada a viagens de parlamentares – para patrocinar com dinheiro público, viagens ao exterior da família de uma de suas namoradas.  Que o sóbrio e milionário senador Tasso Jereissati gastou mais de 100 mil reais com aluguel de jatinhos usando sua verba de viagem parlamentar. Com esta conduta ele se distanciou da casta de parlamentares normais que se utilizam de aviões comerciais para suas mordomias, tornando-se um sátrapa aéreo. Ficamos sabendo que deputados licenciados exercendo funções de ministros utilizam a verba do parlamento. Que a Sra. Marlidice Péres, viúva do Senador Jefferson Péres recebeu em dinheiro a quantia de R$118.651,20 como pagamento de viagens aéreas não utilizadas pelo finado senador, que em vida, foi considerado exemplo de honradez e de conduta ética, demonstrando com isso que conduta ética – se existiu – foi qualidade que o senador levou consigo para o túmulo. Aprendemos ainda que a verba de viagens aéreas foi criada para que o parlamentar viaje para seu estado de origem cumprindo missões de oficio, mas que os parlamentares eleitos por Brasília, onde residem, também ganham passagens aéreas.

O Site Contas Abertas informa que apenas o Senado custou a nação em 2008 a quantia de R$2.770.901.000,00 (dois bilhões setecentos e setenta milhões novecentos e um mil reais). Deste total R$16.999.275,12 foram gastos com passagens dentro do país. Neste valor esta incluído as viagens no jatinho do Senador Tasso e o reembolso das viagens não realizadas do falecido senador Jefferson Peres. Com viagens ao exterior, apenas o Senado gastou R$2.978.673,93. Aí dentro estão ao R$21.343,00 que a Sra. Adriana Galisteu e família custaram à nação.

dinheiroroubadoMas não é apenas nas passagens aéreas que se concentra o abuso parlamentar. O Senado Federal gastou em 2008 a quantia de R$59.349.032,50 com serviços médico-hospitalares e odontológicos.  Mas alguns senadores utilizam seus próprios médicos e o Senado gastou com ressarcimento de assistência medica e odontológica a quantia de R$4.612.043,19. O saúde do Senado brasileiro – senadores e funcionários – custou a nação mais de 63 milhões de reais. Se a mídia for atrás destes números irá trazer informações que assustarão os brasileiros realmente éticos.

Informa-se que o Senado emprega mais de 10.000 funcionários e a Câmara mais de 15.000. Sabe-se que não há espaço para tanta gente nas instalações do parlamento e que os funcionários fantasmas são em número elevado. Descobre-se que uma filha do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso – em quem votei – esta incluída nesta grei.

Para sanar estes problemas os dirigentes do parlamento informam que irão cortar em 20% a verba das passagens e instalarão o ponto eletrônico. O leitor acredita que isto é para valer ou já espera que daqui a poucos meses tudo voltará ao estado anterior com outra denominação? Como exigir decoro onde não ha ética!

São acusados de usar da coisa pública como se fora particular. Mas é uma acusação injusta. Eles não fazem isto com seus negócios particulares. O Senador Tasso certamente demitiria qualquer diretor de seu grupo empresarial que alugasse um jatinho por conta de suas empresas. E o senador não teria feito isso se soubesse que seu ato seria divulgado pela imprensa.  O deputado Fabio Faria também demitiria o empregado que usasse o dinheiro do caixa de sua empresa para ir passear em Bariloche com a namorada. E a viúva do Senador Jefferson Peres também não pagaria a viúva de um empregado de confiança uma passagem que o mesmo não tivesse usado antes da falecimento. Os parlamentares fazem isto porque se trata de dinheiro alheio e estão convencidos de que não devem prestar contas a ninguém, confiam que os fatos não apareçam na mídia e se isto acontecer será esquecido pelo eleitor.

passagens

Agora imagine tudo isso se repetindo na esfera estadual e na área municipal.
Deputados estaduais e vereadores copiam os atos do congresso nacional, aprovam os mesmos regulamentos, as mesmas mordomias e cometem os mesmos abusos. Os parlamentos brasileiros – federais, estaduais e municipais – foram transformados por seus membros em verdadeiras Casas da Mãe Joana. Quando o Presidente Lula, no passado, acusou o parlamento de abrigar 300 picaretas certamente errou na conta.

O colunista, caro internauta, é como você. Ao tomar conhecimento destes fatos se enche de raiva. Como não tem o direito de transmitir sua raiva particular ao leitor deste blog, procura se informar melhor, pesquisa números e informações que beneficiem o eventual acusado. A medida que os fatos negativos se confirmam a raiva vai se transformando em tristeza ao ver um jovem deputado já tão corrompido. Ao assistir experientes senadores e famílias de senadores tão insensíveis com o dinheiro publico a tristeza se transforma em profunda decepção. E sofrendo tal amargura agradece por ser mortal e saber que um dia partirá desta vida com a consciência tranquila por nunca ter tido a coragem de condutas tão infames. Mas os parlamentares também não são imortais.

Postado por Tags: , , , , Categorias: Economia & Política, Editorial
5737

Comentários do Facebook

Possuímos dois sistemas de comentários, você pode escolher o que mais lhe agrada. :-)


Comentários do Blog

3 Comentários

  1. Aproveitando o assunto, achei essa coletâneas de charges sobre a farra das passagens aéreas bem interessante:
    http://maryvillano.blogspot.com/2009/04/farra-das-passagens-aereas-no-congresso.html

    Quanto a estes escândalos, eu sou favorável a um corte drástico na quantidade de parlamentares no Brasil. O custo de cada deputado (e senador, vereador, etc) é enorme, mesmo sem corrupção. Imagina então se acrescentarmos na conta os gastos ilícitos.

    • Afranio Barbosa de Souza disse:

      Gostei da adaptação do texto de artigo de jornal para um blog. Leitor virou internauta. Beleza! Alem disso ha um link para o dicionario explicar o que satrapa e o que e grei.
      Gostei muito. Em meu proximo artigo farei com que os internautas usem mais o dicionario disponivel.
      Graças a este Blog um velho articulista tronou-se um blogueiro.
      Ja era tempo.

      • hehe, para que todos entendam, o nosso colunista Afrânio escreveu este artigo originalmente para o jornal DCI e eu adaptei-o ligeiramente para publicação aqui no blog, com sua permissão obviamente. Aliás, todos os seus posts no NewsErrado até agora são artigos que ele publicou primeiramente no jornal DCI.

Deixe uma resposta