A gripe suína, para não ofender nem os porcos e nem os mexicanos, acabou sendo batizada oficialmente de Gripe A.

Bem, eu me sinto extremamente ofendido, uma vez que meu nome começa com a letra A.

É difícil arranjar um nome politicamente correto para uma doença. É como mudar um nome de rua: sempre aparece um herdeiro desconhecido para reclamar.

Podiam usar um ícone como nome da gripe e chamá-la de “A gripe anteriormente conhecida como Suína”.

Ou fazer um concurso mundial para escolher o novo nome. O vencedor ganharia um kit de máscaras anti-gripe e 10 mil reais em barras de ouro. A foto do vencedor segurando um “cheque tamanho gigante” seria divulgado pelo SBT por 2 meses.

* * *

Flamengo e Corinthians ganharam seus campeonatos estaduais.

Bem, tiro 3 conclusões daí:
– Os times que tem as duas maiores e mais populares torcidas do país foram campeões? O governo vai ter uma ótima taxa de aprovação e pode se dar bem nas próximas eleições. Panem et Circenses.

– A contratação do Ronaldo pelo Corinthians, embora tenha sido alvo de muita controvérsia e crítica, acabou sendo um bom investimento. Isso mostrou também que mesmo velhos e fora de forma os jogadores que atuam lá fora estão bem à frente dos pernas de pau que ficaram “atolados” aqui. Em breve o Campeonato Brasileiro ficará igual aquela competição que a Band chegou a organizar uma época: Futebol Masters.

– O título do Flamengo, independente dos gols contra e dos penalties perdidos, foi legítimo. E ensinou uma lição: vale a pena jogar sujo com o adversário. Driblou, tem talento? Baixa o sarrafo no desaforado pra ele aprender. O Juan, que agrediu física e verbalmente o adversário, não foi punido (um mero cartão amarelo não é nada), já o jogador agredido, Maicossuel, levou um “vermelho”: saiu naquele jogo e ficou fora da última partida.
Sem uma punição adequada, esse tipo de comportamente se repetirá, não apenas por parte do Juan, mas de todos que aprenderam a lição. E pior, essa lição será carregada para fora das quatro linhas, pelos torcedores que viram que a Lei do Mais Forte, a Lei de Gérson ainda reina impunimente: “Tá me atrapalhando, otário? Toma pra aprender!”

Eu acho que o jogador agressor deveria ficar de fora do futebol pelo mesmo tempo que o agredido ficar. Quebrou o joelho do adversário, que ficará 1 ano fazendo cirurgias e tratamento? O agressor também fica suspenso por 1 ano. Está é minha teoria.

Postado por Tags: , , , Categorias: Editorial, Esporte
5825

Comentários do Facebook

Possuímos dois sistemas de comentários, você pode escolher o que mais lhe agrada. :-)


Comentários do Blog

1 Comentário

  1. “- A contratação do Ronaldo pelo Corinthians, embora tenha sido alvo de muita controvérsia e crítica, acabou sendo um bom investimento. Isso mostrou também que mesmo velhos e fora de forma os jogadores que atuam lá fora estão bem à frente dos pernas de pau que ficaram “atolados” aqui. ”

    Opa, vou discordar. Pra mim, os caras esquecem como é que joga bola direito lá fora e, quando estão por baixo, voltam pra cá pra aprender novamente.

    Quanto à teoria do agressor/agredido, achei boa! Rá

Deixe uma resposta