Voltei! Não falei que voltaria pra falar de alguma coisa que fizesse meus olhos brilharem? Pois está aí algo que me faz sorrir: DNA.

E hoje está um domingo lindo para fazer extração de DNA…

O que é DNA?

A sigla DNA vem do inglês desoxiribonucleic acid (ácido desoxirribonucleico em bom português). Ok, isso não diz muita coisa, não é mesmo? O DNA é o material genético dos seres vivos. É ele que carrega as informações de uma geração para outra, de pais para filhos.

Onde está o DNA?

Salvo três exceções, o DNA está dentro do núcleo de todas as células dos organismos vivos. As exceções são: 1) os virus, que não têm célula, mas têm material genético dentro deles; 2) as bactérias, que não têm núcleo, mas tem DNA solto pela célula; 3) as hemácias, que por serem extremamente especializadas no transporte de gases, perdem seu núcleo e consequentemente, o seu material genético.

Há DNA também dentro das mitocôndrias, as organelas responsáveis pela produção de energia das células. Por que tem DNA lá dentro? Essa é uma outra história, que fica pra outro dia.

Como se tira o DNA de dentro das células?

Num laboratório, segue-se três passos básicos:

1) A lise das membranas celulares, feita com a ajuda de soluções detergentes;

2) A precipitação das proteínas, que pode ser feita com sal;

3) O isolamento do DNA, normalmente com precipitação alcoólica.

Mas eu vou ensinar um método suuuuuper simples e barato, que dá pra fazer na cozinha da sua casa.

DICA DA CI: Vamos pegar um tecido vegetal, para facilitar as coisas. Normalmente, os vegetais comestíveis, esses que tem bastantes nutrientes, são poliplóides (significa que eles tem várias cópias dos cromossomos em cada célula), e nós vamos nos aproveitar dessa característica para extrair DNA de um tecido que tenha MUITO DNA.

Então vamos começar: escolha um vegetal. Os mais fáceis de utilizar são ervilhas, banana, morangos, cebola.

– Pique o tecido e amasse-o bem, fazendo uma papinha. Pode colocar no liquidificador ou fazer com a mão mesmo.

– Adicione na papinha uma colher (de sopa) de detergente de louça (não pode ser aqueles muito aguados, tem que ser um detergente bom!) e uma colher (de chá) de sal grosso e misture bem.

– Passe a mistura por uma peneira fininha ou filtro de papel, deixando cair a solução em um tubo ou copo de vidro. Se estiver muito espessa, pode colocar um pouquinho de água.

– Agora, a parte emocionante: acrescente álcool absoluto (ou o mais puro que você encontrar no mercado, tipo 96%) estupidamente gelado, mais ou menos o dobro do volume que você tinha de papinha. O DNA deve formar uma nuvem esbranquiçada, tipo um pedaço de algodão boiando no líquido.

DNA extraído

DNA extraído

PARABÉNS! Você acaba de extrair DNA!

Esse protocolo foi adaptado de um existente no site O DNA vai a escola, que é bem bacana para quem quer dar aulas práticas de biologia molecular no ensino médio ou para quem é curioso e gosta do assunto.

Postado por Tags: , , Categorias: Ciência & Tecnologia, Curiosidades
6732

Comentários do Facebook

Possuímos dois sistemas de comentários, você pode escolher o que mais lhe agrada. :-)


Comentários do Blog

11 Comentários

  1. UALIFER disse:

    A esqueci de dizer:fenomenal viu ,parabens!!!!!!!!!

  2. UALIFER disse:

    Ow e possivel fazer algum tipo de comparação desse DNA?Se for possivel me responda por EMAIL.

    • Cíntia disse:

      Ualifer, que tipo de comparação você quer fazer?

      Creio que não seja possível realizar técnicas mais elaboradas com esse DNA, já que ele não passa por nenhum processo de purificação.

      • UALIFER disse:

        Blz.Obrigado por responder.

      • UALIFER disse:

        A comparação e do tipo:Se eu retirasse o DNA de plantas de mesma especie seria possivel eu saber de qual das plantas eu retirei?Novamente agradeço.

        • Cíntia disse:

          Apenas observando a olho nu o DNA extraido por essa técnica não é possível diferenciar se é de uma planta ou de outra, nem se fosse de espécies diferentes, uma vez que a estrutura do DNA é a mesma em qualquer organismo, o que muda é a sequência nucleotídica.

  3. MARCELO MENDES disse:

    Excepcional forma de explicação, didática e divertida ao mesmo tempo.
    Assim que se ensina, receba meus parabéns.

  4. kah disse:

    Muito, muito, muito, muito massa!

  5. Li disse:

    Oi Ci! Que bacana! Gostei e fiquei curiosa. Será que me aventuro por esse universo novamente? 😉 Beijos.

Deixe uma resposta