Notícia

Um cidadão britânico acabou de sofrer a pena máxima na China, ou seja, foi executado. Foi o primeiro europeu a receber esta pena desde 1951. O crime? Tráfico de drogas: em 2007, ele tentou entrar na China com 4 quilos de heroína.

A defesa alegou que o sujeito sofreria de problemas mentais, sendo bipolar. Ele teria sido enganado por estranhos e as malas não seriam originalmente suas. O Primeiro Ministro britânico condenou vemeentemente a execução e o Ministro das Relações Exteriores disse que a Grã-Bretanha “se opõe completamente ao uso da pena de morte em todas as circuntâncias”.

Comentário

Não vou entrar na polêmica se a pena de morte deve ou não ser aplicada. Nem se o traficante realmente tinha algum problema mental. Mas sim na reação do governo inglês.

A China matou com uma injeção letal um cidadão inglês que foi preso, julgado e condenado segundo suas normas, procedimentos e leis regulamentares. Mas o governo chinês agiu errado, sendo este mais um típico exemplo dos desmandos ditatoriais de um país que vive desrespeitando os direitos humanos, é isso?

Mas a Inglaterra matou barbaramente um brasileiro, sem direito a julgamento ou defesa, executando-o com diversos tiros na cabeça e aí está tudo bem? O brasileiro foi considerado inocente pelo próprio sistema legal inglês, mas não só ninguém foi preso, como a indenização à família brasileira (conseguida depois de muita luta judicial) é muito inferior do que a pensão concedida ao chefe de polícia que ordenou o assassinato. Nem um pedido oficial de desculpas foi feito até hoje.

Pensei que a Inglaterra era contra pena de morte em todas as circunstâncias, senhor ministro, mas acho que só quando é um inglês que morre.

Fonte da notícia: O Globo. Fonte do comentário: NewsErrado.

Postado por Tags: , , , , , Categorias: Economia & Política, Editorial
8610

Comentários do Facebook

Possuímos dois sistemas de comentários, você pode escolher o que mais lhe agrada. :-)


Comentários do Blog

2 Comentários

  1. Carlos disse:

    Odeio quando as pessoas misturam coisas diferentes somente para “tentar” construir uma argumentação…

  2. Afranio Barbosa de Souza disse:

    A comparaçao entre a execuçao do cidadao britanico na China e o assassinato do brasileiro em Londres, e bastante oportuna. A conclusao do articulista de que o Governo ingles e contra a pena de morte em qualquer circunstancia apenas quando se trata de cidadao britanico, foi genial. Embora nao se deve apoiar as execuçoes por atacado cometidas pelo Governo Chines contra seus proprios cidadaos e estrangeiros.
    Afranio B. de Souza

Deixe uma resposta