You are here
Home > Search Results for "pirataria"

Pirataria: gastando milhões pra receber milhares

Segundo notícia no site especializado em informática e tecnologia Fudzilla, o setor fonográfico - leia-se RIAA - tem gasto mais dinheiro para combater a pirataria do que tem arrecadado com os processos e indenizações. Em 2006 gastaram 19 milhões de dólares em honorários de advogados e 3,6 milhões em "operações investigativas". O resultado? Recuperaram apenas 445.000 dólares. No ano seguinte, arrecadaram US$ 515.929,00, mas gastaram US$ 21 milhões com as despesas legais, além dos US$ 3,5 milhões de "operações investigativas". Os últimos números divulgados foram de 2008: nesse ano, a RIAA admite ter gasto com o escritório legal Holmes Roberts & Owen a quantia de US$ 9.364.901, com Jenner & Block mais de US$ 7.000.000, e com Cravath Swain & Moore

Lei anti-pirataria da França foi derrubada

Há pouco tempo atrás, a França aprovou uma lei anti-pirataria na qual quem fosse flagrado fazendo donwloads ilegais receberia 2 avisos e na terceira vez teria sua conexão à internet cortada. O pirata ainda teria que continuar pagando pelo serviço de internet durante o período de punição. A aprovação da lei apoiada pelo governo se deu em segunda votação e pelo apertado placar de 296 a favor e 233 contra. Mas fez sucesso: foi amplamente divulgada pela mídia e vários países se disposeram a aprovar lei semelhante. A lei, no entanto, enfrentou muitas críticas de outros setores das sociedades francesa e européia. O que aconteceria se a conexão da internet fosse do tipo "combo", com TV e telefone incluídos? E se a acusação de

Pirataria 6 – Respeito ao Consumidor

Bom atendimento x "Compre, pague e não reclame" Muito bem, atualmente a chamada pirataria é ilegal, todo mundo sabe. Mas a forma como as empresas legítimas tratam seus consumidores seria legal? Desrespeito, ganância e "Lei de Gérson" são comuns, enquanto atenção, respeito e inteligência parecem ser características cada vez mais raras. Será que se estas empresas agissem de forma diferente não conseguiriam combater a terrível ameaça pirata de maneira muito mais eficiente do que através de pesados lobbies junto aos governos e ameaças truculentas junto ao público? Está parecendo que essas mega-corporações contratam qualquer um, pessoas sem preparo ou bom senso, para cuidar do assunto. Ou talvez na Universidade de Harvard e em Oxford não ensinam que se pega mais moscas com

Pirataria 5 – indesejada ou incentivada?

Produtos que incentivam pirataria Em um post que fiz há algum tempo, questionei o porquê das empresas fabricantes de eletro-eletrônicos lançarem produtos claramente apoiados no mercado pirata, tornando melhor e mais fácil a vida de quem faz downloads ilegais: dvds com DIVX e MP3players. Inclusive, entre elas, está a própria Sony, que como produtora de filmes e músicas seria bastante prejudicada pela pirataria. Hoje em dia até podemos encontrar conteúdo oficial  em MP3 para se comprar, embora muito pouco se comparado a quantidade e variedade de produtos que tocam esse formato. Até pouco tempo atrás, achar qualquer conteúdo em MP3 sem ser pirataria era impossível. Quanto ao DIVX, um visitante chegou a levantar a questão de que os players existiriam pois existem câmeras

Pirataria 4 – Crime Organizado

Continuamos com a série de posts que analisa a questão da pirataria. Leia o primeiro post aqui. Vamos abordar agora a ligação entre pirataria e crime organizado. Essa questão tem sido muito levantada ultimamente, e a propaganda oficial anti-pirataria acusa o consumidor de conivente, cúmplice e fomentador da violência que assola os grandes centros urbanos nacionais. Eu acredito que os camelôs que vendem filmes e softwares piratas realmente façam parte de uma rede organizada. Dificilmente, eles seriam simples indivíduos que gravaram um cd em casa e foram pra rua vender. Até porque acredito que isso vale para qualquer produto vendido em camelô, inclusive para aqueles que atuam nas áreas legalizadas pelo governo, os chamados Shoppings Populares ou Camelódromos. Um parentesis: se a pessoa

Boa medida contra a pirataria

A Amazon está vendendo um superbox com todas as 7 temporadas de Buffy, mais extras impressos e em DVD, por US$ 69,99 (aprox. R$ 170,00). Isso é o que pagamos por UMA temporada no Brasil. E claro que aqui não foram lançadas todas, apenas até a 5ª. Aqui é normal esse procedimento: A distribuidora lança algumas temporadas de uma série, pára por um tempo, retoma o lançamento, volta a interromper e nem sempre conclui todas as temporadas. Os preços são caríssimos e às vezes retalham até mesmo cada temporada, dividindo-as em 1ª temporada vol. 1, vol2, etc. Obviamente que o preço não fica mais acessível, nem por temporada e nem por volume. A atenção ao consumidor através de folhetos especiais, extras

Pirataria 3 – Impostos

Continuamos a série de posts sobre o polêmico tema da pirataria, analisando os argumentos freqüentemente usados contra ela. Nessa edição iremos estudar a relação da pirataria com os impostos. Leia também a introdução dessa série e a relação da pirataria com o desemprego. Arrecadação Atingida Os jornais brasileiros acabaram de noticiar que em 2008 deixarão de ser arrecadados cerca de 19 bilhões de reais em impostos por conta da venda de produtos piratas. Claro que essa conta não foi aberta ao público, trata-se apenas de um número jogado para a imprensa publicar sem investigar. Os impostos, que adoramos odiar, são um mal necessário e essencial para qualquer país. Não pretendo questionar o fim dado ao dinheiro arrecadado atualmente com impostos, taxas e contribuições. Isso

Pirataria 2 – O Desemprego

Quem acompanha o NewsErrado sabe que iniciamos uma série de posts discutindo a pirataria. Procuraremos sempre linkar as matérias anteriores de forma que ninguém perca um post, embora eles são independentes entre si e podem ser lidos em qualquer ordem. Nesta primeira abordagem do assunto gostaria de falar sobre um argumento que sempre é colocado pelos que atacam a pirataria: ela causaria desemprego. A idéia é que com a pirataria as pessoas comprariam menos o produto oficial ou utilizariam menos o serviço oficial. Com a receita em queda, o empresário teria que demitir funcionários para reduzir seus custos. O desemprego poderia acabar se voltando, via efeito multiplicador, contra a própria pessoa que fez uso da pirataria. Esse pensamento não está inteiramente errado, tem

Pirataria – Episódio 1: Uma Série de Posts

Há algum tempo eu penso em escrever sobre a pirataria, um assunto bem polêmico e dominado na grande mídia por uma visão estreita e altamente parcial. A maioria das questões valem tanto para pirataria de séries e filmes, música, jogos e softwares como para ônibus e vans ou qualquer serviço ou produto que use esse "alternativo" ou "genérico" como eufemismo pra pirata. Pensei em fazer um mega-post, uma vez que há muito a dizer sobre isso, mas acredito que a maioria não leria além do título e das figurinhas, caso o texto ficasse muito longo. Até hoje duvido que muita gente tenha lido a análise do resultado final das Olimpíadas de Pequim que postamos, por exemplo. Até entendo, afinal, tela de monitor

Dicionário Gratuito (e sem pirataria)

Faça o download gratuito e legalizado da versão digital do Dicionário Caldas Aulete: Aulete Digital. Essa versão possui os mais de 200 mil verbetes da edição impressa na década de 1980 e mais de 86 mil verbetes contemporâneos. Essa segunda parte está em fase de ampliação e correção, contando com a colaboração de usuários cadastrados, inclusive o jornal Estado de São Paulo e a Rede Globo de Televisão. O processo de atualização é feito online. Na tela do dicionário, além de todas as funções de acesso e de obtenção de informação (conjugação de verbos, obtenção de palavras começadas, terminadas ou que têm no meio certo grupo de letras, notas, pesquisa reversa, pesquisa full text, sinônimos, obtenção de abonações por autor, de verbetes

Top