Versões de Hanging Tree

Eu adoro a música “The Hanging Tree” que aparece no filme Jogos Vorazes A Esperança Parte 1, cantada inicialmente pela protagonista e depois por um coral de combatentes inspirados por ela. O You Tube está cheio de versões da música, eu separei duas bem diferentes, além da original, é claro. Confira e decida qual é a melhor em sua opinião.

Aqui a cena onde a música aparece originalmente no filme, em uma das suas melhores cenas.

Uma versão fiel à original, regravada por Peter Hollens, com 119 trilhas de vozes.

Aqui a versão dos Blankets, mais pop e animada

Wallpapers para seu celular

Chega de mesmice! Papel de parede do celular é pra trocar frequentemente. E nada de usar só foto de filho, esposa, namorado. Essas fotos até valem, mas também precisamos colocar outras imagens legais. Senão só usaríamos camisa com fotos dos nossos amados.

Sendo assim, aqui vai uma pequena coleção de wallpapers para você.

pink floyd sf giants black sf giants orange snoopy Stimulus skiing and water skiing wallpapers 320X480 (01) the_hunger_games_catching_fire_movie-wallpaper-320x480 tron ws_Android_on_Blue_320x480 317-android-like-color-gradient-wallpaper_320x480 3945-san-francisco-49ers android_background-wallpaper-320x480 android_digital_art_rendering_1920x1200_wallpaper_Wallpaper_320x480_www.wall321.com android_green_background-wallpaper-320x480 apple orange apple space arvores cd1ae89b-7732-4a6f-a8a0-eaca7f3ad0c2_1 Beer Filled iPhone doctor-who-223486-320x480-1 linhas Maple-Floors-iphone-wallpaper

Teorias malucas de fãs sobre Filmes, Seriados e Jogos

A internet sempre nos brinda com algumas coisas malucas de verdade. Olha só cada teoria que os fãs não inventam. Inventaram sobre o Batman, James Bond, Simpsons,  Super Mário, Flintstones, Jetsons e vários outros.

O Alfred é tão fiel, tão protetor, e tão condescendente para um mordomo. Mas não para o VERDADEIRO PAI DO BRUCE WAYNE!
O Alfred é tão fiel, tão protetor, e tão condescendente para um mordomo.
Mas não para o VERDADEIRO PAI DO BRUCE WAYNE!
A cidade de Springfield está localizada num universo paralelo tangente, onde os habitantes revivem o mesmo ano repetidamente, enquanto o mundo que os cerca muda naturalmente.
A cidade de Springfield está localizada num universo paralelo tangente, onde os habitantes revivem o mesmo ano repetidamente, enquanto o mundo que os cerca muda naturalmente.
Obrigado Mário, mas essas suas roupas vermelhas, bigode de Stalin de fundo operário não enganam! Você é um COMUNISTA!
Obrigado Mário, mas essas suas roupas vermelhas, bigode de Stalin de fundo operário não enganam! Você é um COMUNISTA!
Em 1962, o Governo dos EUA capturou "John Mason" - um agente britânico suspeito de roubar segredos de estado. O codinome de John Mason? BOND, James Bond!
Em 1962, o Governo dos EUA capturou “John Mason” – um agente britânico suspeito de roubar segredos de estado. O codinome de John Mason? BOND, James Bond!
Os Jetsons e os Flintstones vivem no mesmo futuro - um futuro dividido pela classe social.
Os Jetsons e os Flintstones vivem no mesmo futuro – um futuro dividido pela classe social.
Jack nunca existiu
Jack nunca existiu
A defensora da anti-censura, Suzanne Collins, criou o nomes Peeta e Katniss como uma brincadeira, sabendo que fãs adolescentes iriam juntar os nomes como Peeniss.
A defensora da anti-censura, Suzanne Collins, criou o nomes Peeta e Katniss como uma brincadeira, sabendo que fãs adolescentes iriam juntar os nomes como Peeniss.
Diferentes faces de um mesmo homem. James Bond, assim como Doctor Who é um Time Lord!
Diferentes faces de um mesmo homem.
James Bond, assim como Doctor Who é um Time Lord!
Os eventos de Aladdin nunca aconteceram realmente. É tudo uma história inventada do mercador para vender a lâmpada.
Os eventos de Aladdin nunca aconteceram realmente. É tudo uma história inventada do mercador para vender a lâmpada.

E você pode ver mais dessas teorias em cracked.com

Eu Vi: Jogos Vorazes

Minha crítica pessoal do filme The Hunger Games

jogos vorazes

Em uma palavra: Gostei. Em três: Vale o ingresso.

Em mais palavras: Bem interessante o filme. A história já tinha me chamado a atenção quando peguei o primeiro livro da trilogia em minhas mãos. Acabei não comprando porque minha prateleira se recusa a receber qualquer livro novo enquanto eu não ler mais alguns da fila de “não lidos”. Mas a curiosidade ficou. E essa bela produção cinematográfica só atiçou a curiosidade pra ler os livros originais.

A história: no futuro distante, em que a Terra sofreu alguns cataclismos, o que sobrou da América do Norte organizou-se num país chamado PANEM (derivado de Pan et Circenses). Esta nação totalitária é dividida em Capitol (o rico e fútil distrito capital) e 12 distritos satélites, cada um especializado em algum tipo de produção, de tecnologia à mineração. Os distritos são mais pobres que a capital e já se revoltaram um dia, mas perderam a guerra civil, que custou inclusive um distrito inteiro: o 13° foi varrido do mapa. O tratado de paz incluiu a criação dos jogos anuais em que cada distrito tem um rapaz e uma garota, entre 12 e 18 sorteados para participar de uma luta televisionada, onde só 24 competidores entram, mas apenas um sai vivo. O nome da competição/reality show é The Hunger Games, que no Brasil recebeu a bela tradução de Jogos Vorazes, mas a tradução em Portugal é mais honesta: Jogos da Fome. A situação na maioria dos distritos é tão ruim que morrer de fome é comum. Muitos jovens aceitam receber porção extra de comida em troca de inserir mais cupons com seu nome no sorteio.

Vou ser sincero: apesar da minha expectativa positiva, assim que o filme começou, fiquei de má vontade. Isso porque a câmera seguia aquele estilo realista que tem andado na moda, ou seja, mesmo pra filmar duas pessoas sentadas à mesa fica balançando de um lado pro outro como se fosse um documentarista amador. Isso me irrita muito (aliás, era uma das minhas implicâncias com o reboot da série Galactica). Felizmente, ou isso atenuou, ou deixei de reparar após 5 minutos. A outra coisa que me irritou foi quando mostraram as pessoas de Capitol com cabelos e barbas ridículos. Mas depois eu percebi que isso é proposital, para retratar bem como eram os habitantes desse lugar. Os moradores dos outros distritos não tinha esse visual imbecil. Pelo que soube, no livro é descrito que até o sotaque da capital é afetado.

Uma coisa importante: se você deseja apenas ver a sanguinolência do combate na arena, vai ficar decepcionado. A parte da arena é muito boa, mas talvez para evitar uma censura maior nos cinemas, muito sangue e violência estão ausentes. Quem sabe uma versão unrated seja lançada em vídeo? Seria uma boa. Mas a questão é que o filme retrata muito mais do que isso. A crítica a sociedade, que obviamente é tão atual quanto possível, é excelente. O filme vale pela combinação da ação da arena com a crítica social do início. Claro que a parte emocional que envolve a personagem principal também é interessante, e nem um pouco piegas. Comparam a sucessos juvenis como Harry Potter e Crepúsculo, mas eu acho injusto. O filme poderia ter a mesma força se os personagens da arena tivessem entre 20 e 40 anos. Mas é inegável que ver uma garotinha de 12 anos tentando sobreviver contra um bem treinado grupo de jovens entre 16 e 18 anos adiciona ao drama.

O final é bom e deixa um gosto de “quero mais, o que será que acontecerá a seguir?”. Felizmente, como o sucesso de bilheteria tem sido enorme, não há dúvidas que todos os 3 livros serão levados para a tela grande.

Não poderia encerrar a crítica sem dizer que o filme reacendeu a vontade de assistir o filme japonês Battle Royale (que também surgiu de um livro e gerou uma série de manga). Nessa história, os adultos estariam preocupados com a delinquência dos jovens e para mantê-los sob controle sorteiam anualmente uma turma escolar inteira para competir até a morte, onde só haveria um sobrevivente. Diferentemente da obra americana, no entanto, parece-me que a ênfase é quase toda na arena em vez do retrato da sociedade.