You are here
Home > Arte & Cultura >

Rio de Janeiro: 1950 x 2000

O que mudou em 50 anos? Veja essas fotos de uma das mais movimentadas esquinas da cidade: Av. Rio Branco com Av. Presidente Vargas, no Centro.

A primeira fotografia é de 1950 e a segunda é recente, do ano 2000. Retratam o mesmo lugar, porém de ângulos diferentes, opostos. O prédio de esquina, de arquitetura bem antiga, não existe mais. Em seu lugar está o moderno edifício que aparece na segunda foto, em frente ao táxi.

Curioso é que na imagem antiga podemos ver no lado direito um homem no meio da rua, perdido entre os carros, fazendo sei lá o quê. E na foto atual ELE AINDA ESTÁ LÁ!! Observe o pedestre, no meio da rua, no mesmíssimo lugar, ainda fazendo sei lá o quê…

rio1950.jpg

rioatual.jpg

11 thoughts on “Rio de Janeiro: 1950 x 2000

  1. Trata-se das duas versões do Eds. Holtz, o primeiro construído na década de 10 e demolido nos anos 60 para construção do ed. sede do Banco Real no Rio de Janeiro.

    Nos atual Ed. Holtz, os andares superiores são a sede da Eletrobrás que, há alguns anos, deixou incendiar o prédio com a péssima manutenção dos seus ar-condicionados!

    O sujeito parece ser um ectoplasma do Cesar Maia, o prefeito que conseguiu transformar a sua imagem política num verdadeiro desastre a lá George “Moita” Bush!

  2. Ótima complementação histórica e geográfica!
    (Quanto ao comentário político, tenho reservas. Gosto do CM, e acho que ele foi bombardeado por pensar alto demais muito cedo)

    1. Antonio

      Gosto nâo se discute; mas achar que CM “foi bombardeado por pensar alto demais muito cedo” é forçar a barra onde, por sinal,(aproveitando o campo semântico) fica a Cidade da Música: uma construção faraônica, em concreto “armado” (e bota “armado” nisso) que não deixa dúvida$ $obre o $ignificado da expre$$ão “pen$ar alto demai$ para (o $eu amigo) CM.

      1. Nunca falei que Cesar Maia era santinho. Não acredito em papai noel, coelho da páscoa e político santo.
        Mas que ele fez diversas coisas ótimas, não tenho dúvidas. Se você pensar bem, até o famigerado Collor tomou atitudes que ajudaram o país. Assim, sou contra a divisão entre Mal e Bem, Feio e Bonito, rótulos estampados para não precisarmos pensar. Gosto de reconhecer o que os caras fazem certo e condenar o que fazem de errado.

        1. Tá bom, Antonio. Muito embora convicto de que CM é uma pessoa de quem eu jamais compraria um carro usado eu colei a minha resposta aqui mais para que a sua não ficasse isolada parecendo (aos que venham acessar o site depois de mim) ser a única e (você deve saber como essas coisas funcionam em qualquer mídia) verdadeira. Portanto (simples como um copo de limonada num dia de sol) o que está ocorrendo, agora, nesse ambiente tecnológico nada mais é do que o bom, velho e democrático exercício do direito ao contraditório coisa que, tenho absoluta certeza, já que voce parece ser uma pessoa esclarecida, não será capaz de abalar a nossa amizade virtual.

  3. Paulo, com certeza! Na verdade, é ótimo uma boa troca de idéias e discussão (no bom sentido). Infelizmente, o que mais vemos são pessoas fechadas a qualquer opinião que seja um centímetro diferente da delas: “você é muito bonito desde que seja um espelho!”

    1. Então voce compreendeu, perfeitamente, o espírito da coisa e o motivo da minha intervenção.

      Abrcs

      Sill

Deixe uma resposta

Top